Relativamente muitas pessoas ficaram feridas na escola e no trabalho

Foto: SGN

Relativamente muitas pessoas contraíram o coronavírus na escola ou no trabalho. Estes se tornaram importantes ‘locais de infecção’, de acordo com dados semanais do Instituto Nacional de Saúde Pública e Meio Ambiente sobre o estado do surto de coronavírus.

A fonte da infecção não é conhecida por todas as pessoas com resultado positivo para o coronavírus. Por exemplo, existem pessoas que não sabem onde e como contraíram o vírus. O “modo de infecção” foi identificado em três entre dez pessoas com teste positivo na semana passada.

Mais da metade dos novos casos de origem conhecida foram infectados em casa, por um colega de trabalho ou familiar. Visitar um ao outro resultou em 14 por cento dos casos.

Em cerca de 14 por cento das pessoas, a infecção pode ser rastreada até uma escola ou creche. Isso é semelhante à semana passada. De todas as pessoas com resultado positivo desde o início de agosto, a escola ou creche foi a fonte em 10% dos casos.

Depois da educação, a situação de trabalho é a seguinte: cerca de 8% das pessoas foram infectadas. Esse percentual é semelhante ao da semana passada, mas superior ao patamar desde o início de agosto. Festas como aniversários, bebidas e casamentos causaram mais infecção corona do que nas semanas anteriores.

READ  A vacinação contra o rotavírus não protege adequadamente os bebês | Olha as noticias

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

guiadigital.info