Quatro policiais congoleses condenados à prisão perpétua por torturar um prisioneiro até a morte

Foto de arquivo © AFP

Um tribunal militar em Kinshasa proferiu penas de prisão perpétua a dois policiais congoleses e uma mulher soldado no sábado por tortura até a morte. O julgamento foi transmitido pela televisão estatal.

GVfonte: Belga

O chefe do Tribunal de Guerra de Kinshasa disse que o Coronel Mubebe, o chefe da Inteligência Geral da Polícia Nacional da República Democrática do Congo, o Capitão Nzeta que interrogou o detido e o Brigadeiro General Diamasifi e Mashaba que o torturou “foram condenados a prisão perpétua”. .

O tribunal considerou o coronel Mubebe o culpado intelectual do assassinato, enquanto o capitão e o general de brigada foram os autores das torturas que levaram à morte de Olivier Mbonga (32).

A polícia prendeu Olivier Mbonga por roubar um carro. A fugitiva dona do carro que o acusava de furto, Simone Ecamba. “Ele deu à polícia US $ 100 e incitou os policiais a torturar a vítima”, disse o advogado de Mbonga. Ikamba também é conhecido como o homem que postou imagens de vídeo nas redes sociais sobre a surra de Mbonga. As fotos provocaram muitas reações.

READ  Anouk anuncia no vídeo que deixará de ser juíza do 'The Voice Holland': 'É só uma gangue corrupta' | Agressão sexual em "Voz da Holanda"

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

guiadigital.info