Pena de morte para chinês que incendiou sua ex-mulher nas redes sociais | No exterior




Amuchu tem sido muito ativo na plataforma social. Por exemplo, ela postou fotos suas caminhando nas montanhas, cozinhando ou cantando em trajes tradicionais tibetanos. A vítima morreu duas semanas após o acidente no hospital devido às queimaduras.

‘Um crime muito brutal’

O drama gerou muita emoção na China e gerou debates sobre a violência doméstica, especialmente sobre a falta de punição para a violência nas áreas rurais ou entre as minorias étnicas na China. Amocho separou-se de seu marido abusivo por três meses na época do terrível acidente. Um tribunal em Aba, no sudoeste da província de Sichuan, condenou o último à morte por homicídio em primeiro grau. O tribunal disse em um comunicado que seu crime “foi extremamente cruel e teve um impacto terrível na sociedade”.

Tempo de espera do divórcio

Após a morte de Amocho, milhões de pessoas nas redes sociais exigiram justiça. O regime comunista na China criminalizou a violência doméstica apenas em 2016. Recentemente, Pequim alterou a lei do divórcio e introduziu um período de espera de um mês antes de permitir o divórcio. Essa medida visa evitar divórcios impulsivos, mas tem sido muito criticada. Por exemplo, isso pode fazer com que as vítimas tenham que ficar com o cônjuge abusivo por um tempo desnecessariamente longo.

Leia também.

A estrela chinesa do TikTok (30) foi incendiada pelo ex-marido durante uma transmissão ao vivo

Pânico na França: um homem desconhecido incendeia um ônibus em um subúrbio de Paris

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

guiadigital.info