França investe fortemente em materiais contra a imigração ilegal através do canal e desmantela rede de traficantes de pessoas | No exterior

A França está investindo pesadamente em equipamentos para combater a imigração ilegal através do Canal da Mancha, do norte da França à Grã-Bretanha. Ainda no Canal da Mancha, estreito entre o Reino Unido e a França, foi capturado um grupo de quinze contrabandistas de diversos países. E a agência de notícias francesa citou fontes policiais dizendo que os suspeitos haviam tentado contrabandear centenas de migrantes para a Grã-Bretanha.




A França encomendou mais de 100 veículos e barcos todo-o-terreno como parte de uma operação conjunta com a Grã-Bretanha para melhorar o controle sobre um trecho de 130 quilômetros de costa. O anúncio foi feito pelo Ministério do Interior francês em Paris. Os primeiros vinte veículos já chegaram e a polícia receberá o restante no próximo ano. O valor de compra é de 11 milhões de euros. Isso inclui veículos com tração nas quatro rodas equipados com tecnologia de monitoramento especial, bem como holofotes, óculos de visão noturna e câmeras térmicas.

Mais de 25.700 migrantes cruzaram o canal ilegalmente este ano, de acordo com a British News Agency, que se baseia em dados do Home Office da Grã-Bretanha. Só no sábado, havia 886 pessoas. O número de pessoas que realmente cruzaram ilegalmente em 2021 triplicou em relação ao ano passado, quando havia 8.417 pessoas.

O governo britânico criticou repetidamente a França por não fazer o suficiente contra as travessias ilegais. Paris rejeita essa crítica. Os dois países chegaram a um acordo importante em julho para lidar com o crescente número de migrantes que viajam ilegalmente para a Grã-Bretanha de barco. Londres então prometeu 62,7 milhões de euros para apoiar as autoridades francesas.

A rede foi desmontada

READ  Os Estados Unidos detêm 10.000 imigrantes sob a ponte do Texas | No exterior

Um grupo de 15 contrabandistas de diferentes países também foram presos no canal. A rede, formada por curdos iraquianos, romenos, paquistaneses e vietnamitas, buscou imigrantes nos campos dos Grandes Santos (norte da França) e os levou de barco à Grã-Bretanha. Esses barcos foram trazidos para a costa francesa da China, via Turquia e, em seguida, Alemanha.

De acordo com o levantamento, iniciado em outubro de 2020, a rede transporta “pelo menos 250 pessoas por mês” para a Grã-Bretanha. Eles usaram quatro barcos do tipo “torres”, nos quais cerca de 60 pessoas podiam ser transportadas.

Todas essas pessoas pagaram o “preço do pacote” de 6.000 euros para chegar à Grã-Bretanha. Desta forma, os traficantes faturaram cerca de 3 milhões de euros. O Ministério Público de Dunquerque ainda não comentou a notícia.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

guiadigital.info