Estas são as nossas estrelas do WPA: Van Aert ao lado de Ganna | campeonato mundial de ciclismo

Eles estão de volta: nossos especialistas em ciclismo tiraram o pó de suas bolas de cristal e entregaram suas estrelas para o Campeonato Mundial de Contra-Relógio. Esta tarde, você descobrirá em nossas plataformas – One, Radio 1 e sporza.be/app – se eles estão certos.

***

Filippo jana (Etta, 25, Ineos Grenadiers)

Noblesse compromete-se: o campeão em título é e continua a ser o favorito, embora tenha perdido a sua aura indomável. No ano passado, ele venceu provas quase intactas, assim como o Campeonato Mundial de Imola. Este ano, o prêmio já escorregou entre seus dedos.

Ele ficou apenas em quarto lugar no campeonato italiano, Tóquio decepcionou com um quinto lugar e prata foi sua parte no Campeonato Europeu realizado na semana passada em seu país.

Pesando 82 quilos por 1,93 metros, a força italiana deveria ser capaz de explodir todo mundo em estradas planas da Flandres, mas esta é a melhor versão do Ganna? A uma distância de mais de 40 quilômetros, seu recorde de tempo de julgamento é bastante escasso.

É definitivamente um de seus últimos encontros na estrada. Depois de domingo, ele entrará no julgamento de times mistos na quarta-feira, mas (em princípio) vencerá a corrida de rua e Rubiks com um gol da Copa do Mundo na pista no final de outubro.

Wout van Aert (Bell, 27, Jumbo Visma)

As corridas de rua têm pairado como uma cenoura diante de seus olhos desde Tóquio e o ferro belga não faz segredo de que ele trabalhou em seu poder explosivo para as corridas de rua nas últimas semanas mais do que esta disciplina. Mas talvez seja quando é o mais perigoso?

Sua forma é excelente, como já provou várias vezes no Tour da Grã-Bretanha. Lá ele tirou sua moto de teste do estábulo novamente para testar o tempo da equipe, mas quanto ao resto, Van Aert não tinha nenhum sinal de relógio desde Tóquio (6º).

Ele não consegue fazer uso total de sua bagagem artística devido aos poucos ângulos, mas com sua força pura, Van Aert definitivamente deve ser capaz de dar um tiro no arco-íris.

**

Stefan Bisegger (Zoe, 23, EF)

Swiss First é um recém-chegado à lista dos favoritos tradicionais. Stefan Bissegger não pode entregar as mensagens dos cavalheiros da série juvenil, mas ele passou por um desenvolvimento tempestuoso nesta temporada com vitórias no contra-relógio no Paris-Nice e Benelux Tour.

O número 4 no Campeonato Europeu prefere contra-relógio mais curtos no momento, mas pode flertar com o pódio com seu capacete legal.

Stephen Kong (Zwi, 27, Groupama-FDJ)

Ele também poderia ter ficado na primeira fila com três estrelas, já que Stefan Kung (talvez ele mesmo também) surpreendeu na semana passada estendendo seu título de teste na Europa no Lion’s Den.

Ele se destaca no Europeu, só no ano passado saiu com o terceiro lugar no Mundial. Mas o homem forte suíço encontra um caminho que se adapta perfeitamente a ele.

RYMCO EVENBUIL (Bill, 21, passo rápido de Dekunin)

A estrada da Flandres Ocidental não foi desenhada de acordo com Remco Evenepoel, mas não foi o caso em Trentino, onde terminou bem em terceiro. Além disso, a distância quase dobrou, o que só fala a seu favor.

O leve Evenepoel vai perder os altímetros de domingo, mas não pode ser comparado com a aerodinâmica. Para um público flamengo experiente, o jovem sem dúvida estará ansioso para provar mais uma vez que é um velho.

*

Eduardo avene (Sim, 25 anos, Jumbo Visma)

Este piloto italiano de velocidade deu um grande salto em frente. Edoardo Affini ainda é um pouco verde para os valores estabelecidos, mas na ausência de Primus Roglic, Tom Dumoulin e futuro companheiro de equipe Rohan Dennis, ele tem que acompanhar a experiência jumbo-visma.

Casper Asgren (Dunn, 26, passo rápido de Dekunin)

Os Jogos e o Campeonato Europeu, duas vezes em sétimo lugar, não foram exatamente como Kasper Asgren esperava, mas o piloto se sente em casa na Flandres. Como Wout van Aert, seu coração parece estar batendo um pouco mais na corrida de rua do próximo domingo e Paris-Roubaix em duas semanas, mas ele não deve se acalmar quando o diesel dinamarquês esquentar.

Remy Cavagna (Fra, 26, Deceuninck-Quick Step)

Seu colega Remy Cavagna é talvez o maior mistério da lista. Em seus melhores dias, ele é capaz de chutar sua bicicleta em pedaços, mas nos torneios às vezes ele sucumbe à pressão. Depois de Tóquio (17) e do Campeonato Europeu (9), passou a ser menos monitorado, e só então o TGV de Clermont-Ferrand bateu forte.

Tadej Pojjakar (Navio, 22, Emirados Árabes Unidos)

Depois do Tour e de Tóquio (bronze na corrida de rua), o cinturão quebrou por um tempo e parece estar encolhendo no momento. Tadej Pogacar terminou apenas em 12º no teste europeu, mas depois de alguns dias mostrou melhora com um quinto lugar na corrida de estrada. Uma raça pura como o Pogacar – recém-noivado – não precisa de muito brilho novamente, mas em Bruges, um Top 5 parece ser o mais alto possível.

Max e Shedd (Dui, 28, Continue-NextHash)

O alemão alto (1,99 m) está treinando como velocista, mas teve aulas no inverno passado com o companheiro de equipe Victor Campinaarts. Max Walshed guardou as pontas belgas na cabeça enquanto enfiava cada vez mais o nariz na janela. 6º lugar na Polónia, 5º no Benelux, 5º no Europeu: depois consegue uma estrela no Mundial.

READ  Blitzstart para Pauwels Sauzen-Bingoal: "Aproxima-se o dia em que venceremos Mathieu e Wout" | ciclocross

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

guiadigital.info