Djokovic admite “erros” mas critica “desinformação” | Aberto da Austrália

Novak Djokovic admitiu hoje que cometeu “erros” ao preencher seu formulário de entrada na Austrália e em seu comportamento depois de testar positivo para coronavírus. O sérvio número 1 do mundo também treinou hoje em Melbourne, mas sua participação no Aberto da Austrália ainda não é certa.

Em uma mensagem no Instagram, o não vacinado Djokovic anunciou que sua comitiva havia se apresentado às autoridades australianas relevantes, que teriam que decidir sobre uma possível nova revogação de seu visto e, portanto, sua deportação.

“Estamos passando por momentos difíceis com essa pandemia global e às vezes acontecem erros”, disse o atual campeão em Melbourne.

No entanto, o tenista também lamentou a “desinformação” sobre suas atividades em dezembro, antes e após um teste de PCR positivo.

“Essa desinformação deve ser corrigida, não apenas para aliviar as tensões sobre minha estadia na Austrália, mas também porque é muito angustiante para minha família”.

A desinformação é extremamente angustiante para minha família.

Novak Djokovic

“A entrevista com L’Equipe em 18 de dezembro foi um erro de cálculo”

Voltando à cronologia do caso de Corona, Djokovic explicou que realizou um teste de PCR por conta própria em 16 de dezembro, depois de assistir a uma partida de basquete em Belgrado em 14 de dezembro, onde mais tarde foi descoberto que muitos espectadores estavam infectados.

Djokovic foi visto em público em Belgrado no dia seguinte, 16 de dezembro, dia em que testou positivo para o vírus, de acordo com documentos que apresentou à alfândega australiana.

A Figura 1 mostra que ele teve um autoteste negativo nesse 16º dia, em conjunto com o teste de PCR. Aos dezessete anos, ele estava em uma mostra de selos postais e conheceu jovens tenistas. As fotos mostram que ele não estava usando uma máscara facial. “Eu ainda não sabia dos meus resultados, não tinha sintomas e me sentia bem. Também fiz um autoteste no dia anterior a esta reunião, e esse teste deu negativo.”

Djokovic admite que cometeu um “erro de cálculo” quando se encontrou com jornalistas do jornal esportivo francês L’Equipe em uma entrevista em 18 de dezembro, um dia após seus resultados positivos. “Não queria deixar o jornalista no frio, mas respeitei o distanciamento social e usei máscara na boca, exceto quando minha foto foi tirada. Pensando bem, é melhor adiar o encontro.”

(leia abaixo da imagem)

“Erro humano no formulário de registro”

Houve muito burburinho na mídia australiana ontem sobre a caixa selecionada em seu formulário de inscrição. Isso indica que Djokovic não viajou duas semanas antes de sua chegada à Austrália. Mas ele ainda estava na Espanha no início de janeiro.

“Erro humano não intencional”, o tenista chama. “Este formulário foi preenchido pela delegação que me acompanha em meu nome. Meu gerente pede sinceras desculpas por este erro administrativo.”

O sérvio chegou a Melbourne com isenção médica (com base em sua infecção por coronavírus, editor), mas seu visto foi cancelado na alfândega devido a dúvidas sobre sua validade.

Ele obteve esse visto de um juiz no início desta semana, e o ministro da imigração está investigando o caso. Ele ainda pode deportar o tenista do país a título pessoal.

READ  Golo do Cayman leva o Lyon à vitória sobre o Bayern e De Kenny não tem hipóteses contra o Barcelona | Futebol feminino

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

guiadigital.info