Dalle não se tranquilizou depois de uma conversa com os criadores do “Eu quero um bebê” interior

O Ministro Flamengo da Informação, Benjamin Dahl (CD&V), conversou com os criadores do VTM “Ik wil een kind”. Houve muito boato sobre esse programa na semana passada. “Expressei minhas preocupações e pedi para focar na perspectiva dos direitos da criança. Veremos o que isso oferece, mas ainda não estou totalmente confortável com isso.” Foi isto que o Ministro Dahl no Parlamento Flamengo respondeu às perguntas de Stephen Koengrachts (Open Vld), Catherine Skrivers (CD&V) e Claes Slotmans (Vlaams Belang).




Muita tinta vazou nos últimos dias sobre o programa “I Want a Baby” da VTM. No programa, Dina Tersago procura pais planejados que fazem escolhas informadas de co-parentalidade. Esta é uma forma de família não convencional em que duas ou mais pessoas concordam em criar e criar um filho juntas, sem um relacionamento romântico.

O programa e os criadores de canais têm recebido críticas de vários ângulos nos últimos dias, inclusive do ponto de vista político. Esta crítica foi repetida em todo o Parlamento Flamengo na tarde de quarta-feira.
O ministro da Informação, Benjamin Dahl, também ressaltou que está “extremamente preocupado” com o programa. Segundo ele, os planos vão além dos “limites morais”. “Ter um filho é diferente de comprar uma casa ou procurar um parceiro. Em outros programas (como ‘Blind Bought’ ou ‘Blind Married’, editor), você tem adultos que concordam. Há uma criança por nascer aqui”, disse Daly.

Entretanto, o Ministro da Informação manteve uma conversa com os directores e com o apresentador. “Eu expressei minha preocupação com isso. Também pedi para focar na perspectiva dos direitos da criança e envolver o Comissário dos Direitos da Criança. Veremos o que isso trará, mas ainda não estou totalmente confortável com isso, eu Deve admitir.” De acordo com Daly, se o programa é uma violação da Convenção sobre os Direitos da Criança “não está claro”, em parte porque diz respeito a crianças em gestação.

READ  Uma visita à Fábrica Bicky em Bocholt: o que exatamente é este hambúrguer? | televisão

Segundo o ministro, o programa não pode ser proibido ou monitorado. “Não cabe ao Ministro da Informação aprovar ou proibir um programa de TV. Não posso fazer isso. Mas não porque não é proibido, é moral”, disse Dahl.

A VTM disse em sua resposta esta noite que entende as críticas dos últimos dias, mas afirma que “Eu quero um filho” retratará os pais pretendidos “discretamente”. “Portanto, convidamos a todos para assistir a 18 de outubro com a mente aberta”, disse uma porta-voz.

Dina Tarsago responde à crítica de “Eu quero um bebê”: ‘Seguimos as pessoas em seu próprio ritmo, isso não é coordenação’

A VTM lança uma prévia de ‘Eu quero um bebê’: ‘Ainda existem muitos tabus, o desconhecido é impopular’

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

guiadigital.info