Biden disse em reunião com a Macron que os Estados Unidos são “desajeitados” na questão de submarinos no exterior

Em uma reunião em Roma com seu homólogo francês Emmanuel Macron, o presidente dos EUA Joe Biden reconheceu que as ações de seu país ao concluir um acordo de submarino e um pacto de defesa com a Grã-Bretanha e a Austrália foram “desajeitadas e fora de moda”. Assim, os franceses perderam um acordo com a Austrália para vender submarinos por dezenas de bilhões de euros.




Durante o encontro na Itália, os dois líderes assinaram um comunicado no qual se comprometem a cooperar intensamente em muitas áreas (de defesa), incluindo o campo nuclear no contexto da OTAN. Os dois aliados concordaram, entre outras coisas, em desenvolver uma estratégia conjunta para o mercado de defesa e a exportação de equipamento militar. Mais cooperação também é o objetivo no espaço.

O governo francês não apenas ficou indignado com a perda do negócio do submarino, mas também se sentiu enganado e traído pelos americanos, australianos e britânicos. A nova aliança denominada AUKUS vem sendo negociada no mais estrito sigilo há muito tempo. Os americanos e os britânicos ajudariam os australianos com submarinos nucleares dentro dessa aliança, mas Paris permaneceu completamente fora dessa aliança. Tumultos estouraram em setembro. O encontro em Roma foi o primeiro entre os líderes da França e dos Estados Unidos desde então.

O presidente dos Estados Unidos disse acreditar que Macron já sabia disso há muito tempo. Disse ter “muito carinho pela França, país que é o mais antigo aliado dos Estados Unidos”. Mas Macron disse, hesitante, que “este é o início de um processo de confiança”. E confiança, de acordo com Macron, é “como o amor, as declarações são boas, mas as ações são melhores”. Biden queria restabelecer o relacionamento para a cúpula do G20 em Roma, que começa no sábado, e a conferência sobre o clima em Glasgow, no dia seguinte.

READ  Israel começará a vacinar crianças a partir dos 5 anos na terça-feira | No exterior

Biden manteve uma série de negociações antes da cúpula na sexta-feira. Primeiro, o segundo presidente católico romano dos Estados Unidos falou com o papa. A conversa durou muito tempo, uma hora e um quarto, e o Papa Francisco teria descrito seu convidado como um bom católico. Alguns católicos romanos nos Estados Unidos acusam Biden de não ser um oponente do aborto. Biden descreveu seu interlocutor como um lutador pela paz.

Em seguida, Biden dirigiu sua limusine presidencial com 83 outros carros para saudar o protocolo do presidente italiano Sergio Mattarella. O comboio seguiu para o Palácio Chigi, onde foi recebido pelo primeiro-ministro do país do sul da Europa, Mario Draghi. Os principais temas de discussão são a crise climática e o combate ao coronavírus.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

guiadigital.info