A vacinação é obrigatória para quem deseja participar da Assembleia Geral das Nações Unidas | No exterior

Todos os diplomatas que participam da Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova York devem ser totalmente vacinados contra a Covid-19. As autoridades locais na capital dos EUA veem a sala de reuniões como um “centro de conferências” e isso significa aplicar regras rígidas sobre a Corona. Moscou não está satisfeita com esta regra.




Nova York disse ao Presidente da Assembleia Geral que os delegados devem provar que receberam a vacinação se quiserem entrar na sala para a reunião da próxima semana. A cidade aceita todas as vacinas aprovadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) ou pela Food and Drug Administration dos EUA.

Nem todo mundo está feliz com esse procedimento. A Rússia disse que o presidente Abdullah Shaheed gostaria de discutir o assunto com urgência. O embaixador russo nas Nações Unidas, Vassily Nebenzia, descreveu as regras como discriminatórias e disse que impedir diplomatas de comparecerem à sala de conferências era uma “clara violação da Carta da ONU”.

Durante a 76ª reunião da Assembleia Geral, delegados de todo o mundo podem discutir questões internacionais. Cerca de 100 chefes de estado e de governo já confirmaram sua chegada a Nova York. O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, e o primeiro-ministro britânico Boris Johnson se reunirão na segunda-feira para discutir medidas de combate às mudanças climáticas.

A Assembleia Geral é o único órgão da ONU em que todos os membros se reúnem. Durante o encontro, iniciativas em questões como paz, progresso econômico e direitos humanos podem ser lançadas.

Mais de mil ONGs pedem o adiamento da cúpula do clima de Glasgow

Biden discursará na Assembleia Geral das Nações Unidas em 21 de setembro

READ  Dois ex-integrantes do grupo terrorista "Brigadas Vermelhas Italianas" denunciam-se à polícia francesa | no exterior

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

guiadigital.info