“A Europa demora a implantar uma rede 5G rápida e corremos o risco de perder empregos novamente” Internet

A Europa está ficando para trás no lançamento da rápida Internet móvel 5G. No ritmo atual, a Europa precisará de pelo menos mais dois anos para atingir o nível da China. É o que disse Borge Aecom, CEO da produtora sueca de equipamentos de telecomunicações Ericsson, em entrevista ao jornal francês “Le Monde”. Ele alerta que a Europa corre o risco de perder novos empregos.




De acordo com Eckhom, a Europa já estava atrás em 4G. Segundo ele, isso pode explicar porque não existem grandes players digitais na Europa. “As principais plataformas são quase todas americanas ou chinesas, as duas regiões onde o 4G foi lançado primeiro. Temo que isso aconteça novamente com o 5G e que a Europa perderá muitas das funções do futuro.”

Segundo o chefe da Ericsson, Austrália, Coréia do Sul e Oriente Médio também estão à frente da Europa. Na China, 11% dos assinantes agora mudam para 5G. Na América do Norte, o número é de 4% e na Europa é de cerca de 1%.

Licenças caras

Como uma razão para a lenta implementação do 5G na Europa, Eckhom cita retornos mais baixos para o investidor. Tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, as licenças para usar algumas frequências portáteis são muito caras. Mas, embora as operadoras americanas tenham as frequências que compram, elas ficam apenas por um período limitado na Europa. Segundo ele, os investidores estão perdendo com isso. Além disso, o procedimento de licenciamento é muito lento e complicado.

A opinião pública sobre os riscos potenciais do 5G também desempenha um papel importante, de acordo com o presidente da Ericsson. “Assim como com a vacina Corona, também existem dúvidas aqui. No entanto, os estudos têm mostrado suficientemente que o 5G não tem efeito negativo sobre a saúde.”

READ  Um morto e 12 desaparecidos depois que um navio naufragou na costa de Loewe ...


We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

guiadigital.info